Boris Johnson ameaça suspender texto do Brexit e convocar eleição geral antes do Natal

O governo do Reino Unido vai suspender a tramitação da lei do Brexit e insistirá em nova eleição caso os parlamentares rejeitem o cronograma pelo qual a saída da União Europeia acontecerá até o dia 31 de outubro, disse o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, nesta terça-feira (22).

O premiê busca aprovar o texto antes do dia 31 de outubro, que é a data limite, mesmo que representantes da União Europeia (UE) já tenham dito que aceitam prorrogar esse prazo.

“Se o Parlamento conseguir o que quer e decidir adiar tudo até janeiro ou possivelmente mais do que isso, nessas circunstâncias, com muito pesar, devo dizer que o projeto terá que ser retirado e teremos que avançar para uma eleição geral”, disse Johnson.

O jornal “The Guardian” ouviu uma pessoa do governo que afirmou que o primeiro-ministro pode desistir do projeto de lei por completo.

Os parlamentares conversadores favoráveis a um Brexit mais ameno estão fazendo pressão para conseguir mais concessões, de acordo com o jornal.

Segundo essa fonte, se a União Europeia der um prazo até o dia 31 de janeiro, o governo deverá tirar o projeto de lei do Brexit da pauta e forçará uma eleição antes do Natal.

Entenda a tramitação do Brexit

  • Boris Johnson chegou a um acordo com a União Europeia no dia 17 de outubro sobre como deveria ser a saída do Reino Unido do bloco. Esse texto precisa ser aprovado pelo Parlamento Britânico;
  • No dia 20 de outubro, o Parlamento se reuniu em uma sessão extraordinária e decidiu não votar o acordo fechado entre Boris Johnson e a União Europeia;
  • Com isso, o primeiro-ministro foi obrigado, por lei, a pedir um novo adiamento no prazo para a saída do Reino Unido do bloco;
  • Por ser contra a extensão, Johnson não assinou a carta e anexou outro documento, no qual diz que o adiamento seria um erro e pedindo que os líderes da UE convençam os parlamentares britânicos a aceitarem o acordo;

Via G1

%d blogueiros gostam disto: